Arte, medicamento para a alma

Inúmeros estudos têm mostrado a presença da arte como elemento terapêutico, que beneficia a saúde do corpo e do espírito, melhorando a longevidade e a qualidade de vida. Mas, afinal, o que é essa manifestação mágica, que aguça a nossa sensibilidade, ampliando os sentidos e tornando mais complexa a nossa visão do mundo? E porque quando mergulhamos no universo da arte, nosso coração bate mais compassadamente e nossa aura torna-se mais azulada?

As sensações que podemos experimentar diante de uma obra podem nos transportar a outras dimensões da nossa realidade interna e externa. Então, o que é essa coisa tão boa, que chamamos de ARTE? O dicionário diz que Arte é algo que possui um caráter estético e está intimamente relacionada com as sensações e emoções dos indivíduos.

Para o filósofo grego Aristóteles, a arte era mimesis uma imitação da realidade. Com o tempo essa afirmativa foi se ampliando e as correntes artísticas modernas mostraram que, não somente a arte imita a realidade, sendo assim uma representação da vida, mas também se sustenta no poder da criação humana para existir, sem deixar de lado o seu compromisso social e a sua absoluta capacidade de comunicação. A filósofa contemporânea Viviane Mosé afirma, em seus estudos, que “a arte é a condição de existência do intelecto”, o que a faz vital e imortal.

Seria possível alguma cultura existir sem o deleite da música, da dança ou mesmo o prazer da expressão plástica para se comunicar? Se fosse possível, a arte, sendo a manifestação humana mais antiga do universo, não teria sobrevivi do até a nossa era contemporânea como forma eficaz de comunicar, sentir, ser e haver.

Quando se fala em arte, a primeira ideia que nos vem à cabeça são os grandes pintores do passado, os clássicos da música ou do teatro que se perpetuaram no tempo, mas arte é bem mais do que qualquer manifestação da elite passada ou presente. A arte está em tudo e em todos nós, como uma necessidade vital de ser feliz. Não tem que ser bela, até mesmo porque a beleza é conceitual e cultural, mas tem apenas que nos sensibilizar, nos comunicando qualquer manifestação do ser.

Conscientes dessa verdade, nós, membros da Academia Brasileira de Belas Artes, não medimos esforços, não somente para conviver com as práticas da arte, mas também temos o propósito de convidá-lo a caminhar nesse delicioso percurso de fazer arte conosco. Por isso, queremos ter você nos cursos e ateliês livres oferecidos pelo Espaço de Artes da ABBA – Academia Brasileira de Belas Artes, pertinho de você, em Copacabana.

Hoje apresentamos 20 diferentes oportunidades pra ser feliz! Ateliês de pintura em tela, de cerâmica, de xilogravura, aquarela em tecido, design de joias, desenho artístico, criação e desenho de personagens, pintura em faiança, monotipia, história da arte com visitas a museus e passeios culturais, pátina e bauernmalerie, encadernação artesanal, fotografia, Yoga trabalhando a arte do equilíbrio entre corpo e mente e muitas outras atividades, como exposições, workshops e Cafés com arte. Tudo isso pra colorir nosso dia a dia, desenhando um futuro mais saudável, quando podemos trocar os medicamentos por goivas, pincéis e muitos lápis de cor.

Os cursos e ateliês funcionam de segunda a sábado e você não precisa ter conhecimento artístico pra participar. Deixe esse desafio por nossa conta. Os ateliês funcionam em modo contínuo com atendimento individualizado, logo, seu curso começa quando você chega, assim, o mergulho no mundo da arte, só depende de você! Já estamos em funcionamento para todo o ano de 2020. Venha nos visitar para conhecer os dias e horários das nossas atividades.

professores academia brasileira de belas artes - Arte, medicamento para a alma

Fale conosco pelos telefones: 3497-0095 e 99379-0954, pelo e-mail contato@academiabrasileiradeartes.org.br e www.academiabrasileiradeartes.org.br. Nosso endereço é Rua Toneleros, 326 – sobreloja, interfone112 – Copacabana.

One thought on “Arte, medicamento para a alma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *