História da Arte – ciência de mão dupla

A História da Arte é uma ciência de mão dupla. Ela nos permite entender, analisar e nos sensibilizar diante de uma obra de arte, seja ela uma escultura antiga, uma pintura clássica ou uma instalação de arte contemporânea.

A base para esse entendimento está no que poderíamos chamar de “carteira de identidade” da obra, isto é, se temos o conhecimento básico da sua idade, da sua origem, e do seu criador, teremos maior recurso para compreender a obra.

Giulio Carlo Argan, crítico de arte e ensaísta italiano, nos diz, em sua obra clássica Arte Moderna, que “a história da arte é a única história que se faz diante da obra, por procurarmos o sentido da arte na sua origem”. Assim, a maioria desses conceitos, que tanto nos auxiliam na arte de entender a arte, derivam da história das civilizações.  Se a obra de arte é uma forma viva de comunicação entre o artista e o meio que o cerca, de forma inversa, também podemos compreender a história, por meio da sua arte. Entendemos que a sua composição nunca está completa, pois uma obra de arte se faz a cada dia, através da leitura do observador.

À medida que a humanidade avança no futuro, melhor podemos entender o seu passado. A evolução das civilizações e da arte estão interligadas, como uma das mais importantes manifestações humanas. Num percurso milenar, artistas marcam sua época e seu lugar na história, expressando suas verdades universais, suas diferentes poéticas e suas manifestações estéticas e sociais, há dezenas de milhares de anos.

Acreditando no prazer de conhecer e entender cada vez mais a arte, as Escolas de Artes ganharam espaço em todo o mundo e a Academia Brasileira de Belas Artes também oferece inúmeros cursos de Artes esperando por você.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.