O que há de artístico na arte abstrata?

Muitas pessoas, diante de um quadro abstrato, dizem: – “Isso eu também faço”; ou pensam:

– “qualquer criança sabe fazer isso…”

Assim como alguns observadores, você também já se perguntou o que há de “artístico” na arte abstrata?

Kandinsky, o primeiro artista abstrato da História, em seu livro Do Espiritual na Arte, nos diz que “a pintura abstrata é a mais difícil de todas, pois exige que o artista, domine muito bem o desenho, tenha grande sensibilidade pela composição, total conhecimento das cores e ainda seja um verdadeiro poeta, para harmonizar todo esse conjunto em uma só obra”. Voltando na história, vemos que a pintura figurativa teve grande valor no mundo artístico, pela sua capacidade de representar momentos, retratando personagens, objetos e ambientes. Ela era uma forma de perpetuar algo, uma vez que ainda não havia a câmera fotográfica, e quanto mais próximo do “real”, mais fantástico era o trabalho do artista. Para uma boa representação figurativa, é fundamental ter grande capacidade de observação e domínio técnico, para repetir com fidelidade, o que é observado, pois o artista traz para a sua tela uma composição e uma cor já existentes.

Graças à ousadia dos artistas do século XIX, com a chegada dos movimentos vanguardistas, como o cubismo, o fauvismo, o futurismo, dentre outros, esse conceito foi se transformando e dando asas aos artistas com a sua liberdade de expressão. Libertos da necessidade da figura e sem o comprometimento de transmitir o real, a pintura volta-se para a representação do sentimento. Assim, o abstracionismo se abstém da realidade e da construção de uma narrativa histórica ou literária, tendo como principal característica expressar o que não está visível, como o seu universo espiritual e as suas emoções. A partir daí, o espectador já pode abandonar a sua posição meramente contemplativa para mergulhar, juntamente com o criador, na subjetividade da obra em sua leitura pessoal.

A Arte Abstrata pode se manifestar em diferentes categorias, o abstracionismo expressivo, lírico ou informal, que busca comunicar-se pela organicidade das formas e das cores e o abstracionismo geométrico, mais formal e inspirado no rigor matemático, prestigia o ritmo, a continuidade e o equilíbrio cartesiano. Como pudemos perceber, a arte abstrata abriu um novo caminho na história, mostrando que a forma, a cor e as texturas podem ser a principal narrativa de uma obra de arte e a melhor forma de apreciá-la é deixar-se levar por ela, sem a necessidade de reconhecer o reconhecível. Se uma pintura abstrata prender a sua atenção, então observe qual a resposta emocional que ela lhe trouxe e assim a arte se fez presente em você.

A abstração está em nossos sentidos. Grande parte das músicas que você ouve e que te contagiam, são obras abstratas, pois não possuem letra, são simples emoção. Pense nisso…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.